26 de julho de 2015

Alimentação é uma dança: Escolha os pares que te darão mais ritmo

Eu estava lendo o artigo Alimentação:Prazer X Compulsão, escrito por Conceição Trucom, que a partir de distinguir o ato de comer do ato de se alimentar, pôde me provocar uma série de reflexões. Vamos então, observar essas definições, retiradas do dicionário Aurélio:
v  Comer: vtd. Introduzir alimentos no estômago, pela boca, mastigando-os e engolindo-os;  
v  Alimentar: vtd. Prover algo (corpo / mente / recipiente ) das suas necessidade essenciais que gerem a sua satisfação de completo.  

Apenas observando essa distinção, concluí que um dos motivos freqüentes que leva as pessoas a ganhar peso ou adquirir problemas de saúde originados da má alimentação é o consumo atrelado ao lado emocional, o que se intensifica ainda mais quando comem para descontar suas dores e ansiedades, sem refletir sobre a qualidade do que estão ingerindo ou ao menos se lhes farão bem efetivamente ou não.
É preciso tornar essencial o reconhecimento de que alimentação é um dos pilares para a nossa saúde e qualidade de vida. Infelizmente com a correria de cada dia, ao optarem por alimentos rápidos, as pessoas acabam por não prestarem a atenção necessária no que estão comendo e perdem a preocupação pela busca dos valores nutricionais de que necessitam, colocando no lugar a preocupação por uma satisfação rápida e superficial. Para situarmos o aumento indesejado de peso diante do valor qualitativo do alimento, se não for o suficiente, basto unirmos ao valor qualitativo. Alimentos pouco nutritivos na maioria das vezes são menos saciáveis, em geral pela falta de fibras, o que favorecem os excessos, além da ansiedade e o estresse que são até mesmo incentivados através de filmes onde vemos uma mulher desiludida, afogando suas mágoas em um profundo pote de sorvete e barras de chocolate.

Com esses pensamentos, durante suas próximas refeições, procure considerar que daqui para frente você não irá simplesmente comer, mas irá se alimentar, se nutrir. Reflita se o que está à sua frente é digno de entrar em você. Avalie, busque informações sobre ele, sobre seus valores e sua origem, não se entregue tão facilmente. Valorize seu corpo. Poupe sua consciência.

Algo que funcionou bem comigo e admito que o faça até hoje, é elaborar toda noite antes de dormir um cardápio onde planejo cada refeição que farei no dia seguinte. Para fazer o seu também, é bem simples: Adequando aos horários do seu dia a dia, divida suas refeições para serem realizadas a cada três ou quatro horas, com base no que há na sua dispensa e na sua geladeira. Você poderá inclusive deixar sua refeições preparados um dia antes também, caso passe a maior parte do tempo fora de casa.
v  Café da manhã: Essa será sua refeição mais importante. Opte por um pão integral e frutas ou um mingau de aveia com frutas secas, sementes de chia e castanhas e como bebida, prepare uma vitamina de frutas da sua preferência ou um café quentinho.
Caso você acorde muito cedo, o que é comum, será necessário fazer um segundo café da manhã.  Passar muito tempo sem se alimentar até a hora do almoço pode causar fraqueza e ansiedade, abrindo a possibilidade de excessos indigestos posteriormente e um baixo rendimento nas suas atividades. Assim, entre essas duas importantes refeições, escolha algo simples e leve, como por exemplo, uma fruta!
v  Almoço e Jantar: Esse é o momento de equilibrar! Pensando sempre em variar, baseie-se em uma distribuição igualitária de: vegetais crus e cozidos, proteínas (feijão, grão de bico, ervilha, soja, etc.) e carboidratos (arroz, massa, mandioca, batata, etc.). Recomendo o arroz integral e a batata doce. Evite ou reduza o hábito de ingerir frituras e procure não exagerar no sal, buscando compensar e mesmo enriquecer o sabor com outros temperos como manjericão, alecrim, salsa, gengibre, pimenta, páprica, orégano e tomilho. Para quem deseja emagrecer, é interessante tomar um copo d’água meia hora antes dessas refeições, o que pode favorecer uma saciedade com menores porções (falaremos mais sobre saciedade daqui a pouco) e uma xícara de chá verde ao cruzar os talheres sobre o prato.  
Assim como aquele segundo café da manhã, você também pode ter a necessidade de fazer pequenas refeições semelhantes onde vitaminas, castanhas, frutas, cereais e cookies integrais serão boas escolhas, ao contrário de refrigerantes, salgadinhos de isopor, coxinhas engorduradas e bolachas recheadas. Até mesmo barrinhas de cereais devem ser analisadas, pois muitas vezes contém muito açúcar refinado, sendo uma falsa amiga não só de quem está de dieta, mas de quem busca se nutrir de verdade.
Você pode manter essas anotações do seu cardápio diário com você, em uma agenda ou prender na porta da geladeira com um imã de cada lado do papel, que será renovado dia após dia. Não se esqueça de ter sempre um copo ou uma garrafinha d’água como companhia.

Agora, ao invés de descontar suas emoções na hora de se alimentar ou pensar apenas na satisfação instantânea, procure aplicar duas reflexões:
v  Esse alimento me fará bem?
v  De quanto eu preciso para ficar satisfeito (a)?
Para isso, o ideal é um alimento nutritivo e bem preparado. Ou seja, não estou te induzindo a encarar o alimento apenas como meio de matar a fome e ponto final. Um alimento mal preparado ou consumido sem a devida atenção e respeito dificilmente trará satisfação. E para que traga é preciso, além da sua qualidade, que o consumidor dedique o momento apenas à refeição, evitando ao máximo quaisquer distrações, não beba durante a refeição, mastigue bem cada garfada ou colherada e sem pressa e mantenha uma postura ereta. A união dessas indicações irá contribuir para que sua digestão tenha sucesso e não haja nenhum efeito indesejável depois, como azia, refluxo ou gases. Sobre a ingestão de líquidos, eu recomendo que seja feita alguns minutos antes de cada refeição, ou após no caso de um chá digestivo especialmente.

 Diante do que foi colocado, é importante ressaltar que o prazer em se alimentar deve ser valorizado, mas não como o prazer vulgar e imediatista que nos é vendido, através das chamativas imagens de fast-foods que aparentam ser tão gostosas, porém são tão sem conteúdo e fúteis. Afinal, com qual das duas você aceita dançar? Ou então, qual delas você deseja que entre em você? 

7 de julho de 2015

Mousse Saudável de Cacau + Salada de Frutas Original

















Olá,

Salada de frutas é uma das minhas sobremesas favoritas. E acompanhada com esse mousse e um brinde de suco integral de uva formou um jantar altamente saboroso e satisfatório.

O mousse de cacau foi feito baseado, nessa receita.  Vejo que ainda preciso me acostumar com o cacau, pois além de mais forte, é mais diferente do achocolatado convencional do que eu imaginava. Mas de qualquer modo, eu adorei esse mousse, te faz pensar em como o abacate é uma fruta tão versátil e incrível. Eu que até então já a apreciava comendo de colher sem nenhum ingrediente adicional!

Antes de postar a receita, irei mostrar uma imagem muito legal que encontrei no Pinterest para te ajudar a escolher o abacate certo, ou momento certo de comê-lo:


Mousse de Cacau


Ingrediente:

1 abacate médio amassado com uma colher
2 colheres de sobremesa de cacau em pó (não ultrapasse essa quantidade)
Melado a gosto
2 colheres de chá de semente de chia

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes menos as sementes de chia, até formar um creme homogêneo. Em seguida, leve a geladeira e quando servir, coloque o mousse em tacinhas e salpique sementes de chia e o que sua criatividade ou sua dispensa permitir. :)

Salada de Frutas

Frutas:

1 coco marrom
1/4 melancia
Cerejas
Uvas
2 carambolas
1/2 abacate médio

Calda:

Água de coco
1 colher de sobremesa de melado de cana

Modo de preparo:

Lave as frutas. Separei uma fonte que achei bem interessante e prática sobre a higienização de frutas, verduras e legumes aqui. 
Corte as carambolas em rodelas para ganharem formatos de estrelas. Corte a melancia em cubos e o abacate em tiras ou cubos também.Corte o coco mas deixe-o a parte. E em sua água, que geralmente não é muita, adicione uma pequena quantia de melado, é uma ótima ideia.
Em seguida. misture todos os ingrediente e sirva em tacinhas.

Eu servi a salada de frutas por cima do mousse e adorei essa combinação. Também acrescentei em cada taça, uma tira de pãozinho de amaranto muito bom que fiz, com base nessa receita. 

E a seguir algumas fotografias do resultado:





Bom apetite!

5 de junho de 2015

Saindo do Forno: Pão de mel integral de alfarroba

Olá!
Bom, como eu havia dito aqui, meu desafio era descobrir o que fazer com alfarroba em pó.
Bom, a alfarroba é uma vagem isenta de lactose, glúten e açúcar, conhecida como ótima substituta do chocolate pelo maior valor nutricional e um semelhante gosto.

 Eu sempre fui louca pelas barrinhas de alfarroba, o gosto é realmente bom e há algo na sua consistência que te deixa saciado com uma pequena porção. Porém me decepcionei ao tentar substitui r sua versão em pó pelo achocolatado, (que batizei de alfarrobatado). O Gosto era tão forte que me enjoava. Assim, passei meses olhando aquela embalagem na dispensa, sem saber o que fazer.

Até que um dia, vi uma receita de pão de mel integral no blog da mimis., blog que gosto bastante e pensei: Será que ficaria bom se eu seguisse essa receita, porém substituindo o chocolate pela alfarroba? E a resposta é: Sim!!!

E aqui vou eu mostrar como:

Para a massa

Ingredientes:

2, 5 xícaras de farinha de trigo integral
1 xícara de mel
2 colheres de sopa de alfarroba de pó
2 xícaras de água
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de noz moscada ralada
1 gota de essência de baunilha
1 colher de chá de bicarbonato
1 colher de chá de fermento

Preparo:

Bata tudo na batedeira ou à mão. Unte uma travessa com farinha e margarina. Leve a massa ao forno à 190º por 30 a 40 minutos.

A calda

Ingredientes:

1/2 lata de creme de leite
1 colher de sopa de alfarroba em pó

Preparo:

Após retirar o pão de mel do forno, desenforme-o e cubra-o com a calda. Em seguida deixe na geladeira por 20 minutos. Aqui você pode enriquecer com outros ingredientes se quiser, como nozes ou amêndoas picadas. Eu por exemplo salpiquei um pouco de linhaça.

Passados os 20 minutos corte tudo em quadrados do tamanho que preferir.

Dicas:


  • Se for utilizar essa mesma quantia, coloque a massar em uma travessa menor.
  • Passados 30 minutos, espete seu pão de mel com um garfo para checar se a massa já está pronta. Estará pronta se os espetinhos do garfo se desprenderem com facilidade e limpos.


Espero que gostem da receita, vale a pena dar uma pesquisada sobre a alfarroba e seus benefícios e experimentá-la. Ela é facilmente encontrada em farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais.

Em breve!


  • Panquecas 
  • Petit Gateau de alfarroba

25 de maio de 2015

Saindo do forno: Mingau funcional #3 - Chocolate com farinha de banana verde

Trilha: King Crimson, Moby Grape, George Harrison e Trilha sonora de Poderosa Afrodite.
Olá,
Quem acompanha meu blog logo vai começar a pensar que eu vivo de mingau, né? Mas não, não é isso, o que ocorre é apenas um aperfeiçoamento nas minhas receitas. E uma prova disso é a minha primeira receita desse blog, onde proponho um lanche da tarde com algumas inovações.
Então, há pouco tenho sido introduzida por minha conta ao diversificado mundo das farinhas funcionais e este é realmente um mundo surpreendente e interessante. Comecei com a farinha de linhaça dourada, depois a farinha de banana verde e atualmente estou, aos poucos tentando descobrir os usos ideais da farinha de maracujá.

Mas falando da farinha de banana verde em questão: Me deixou muito satisfeita! Busquei-a com a intenção de poder fazer um mingau de chocolate sem ter que utilizar maizena ou farinha de trigo, por motivos de saúde e foi uma bela pedida: Seu aspecto é bem macio e cremoso. Porém aviso que apesar de ter um gosto neutro, tirou um pouco do doce do meu Nescau, o que não me incomoda, mas para as formiguinhas recomendaria a adição de uma colher de sopa de mel. 2º Aviso: Eu sou apaixonada por gengibre e sabendo que este possui um gosto forte, recomendo cautela no seu uso. 

Alguns benefícios da farinha de banana verde: Fazendo uma pequena síntese, ela é rica em fibras e carboidratos saudável além de ser pouco calórica, sendo assim muito associada ao emagrecimento.  Ela também reduz a produção de insulina, melhora o funcionamento do intestino, evita constipações, diminui colesterol e reforça a imunidade. Porém, como tudo na vida os excessos podem implicar com suas belas funcionalidades. Confira ainda mais aprofundamentos na seguinte fonte: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/16804-farinha-de-banana-verde-emagrece-e-reduz-risco-de-diabetes 

Antes da receita:

Obs: Ainda pretendo começar a usar o cacau em pó e uma colherada de mel no lugar do Nescau, mas por enquanto ficaremos assim.
Obs 2: Eu gosto muito de gengibre, não só pelo seu sabor picante mas pelos seus incríveis benefícios que já citei aqui. Mas não é obrigatório usá-lo nesta receita, é apenas uma preferência minha.

Receita

Ingredientes:

No máximo 200 ml de leite desnatado, (equivale a 1 copo de requeijão);
2 colheres (sopa) de farinha de banana verde;
1 colher (sopa) de achocolatado em pó;
1 colher (café) de gengibre moído.

Procedimento:

No recipiente onde você for consumir, adicione o leite e a farinha de banana verde e mexa até que a mistura torne-se homogênea. Em seguida, coloque a mistura em uma panela e acrescente os ingredientes restantes. Acenda o forno, mexa e espera até que atinja uma consistência cremosa, como um mingau. Desligue o forno e sirva. Bom apetite!